Turismo

Filhotes de flamingos nascem no Parque das Aves


O Parque das Aves acaba de ganhar novos moradores, isso porque acabaram de nascer os primeiros filhotes de flamingos, dando início à estação reprodutiva deste ano. A visita ao parque nessa época proporciona ao visitante acompanhar de perto várias etapas da fase reprodutiva da espécie, desde o ritual de acasalamento dos machos até o desenvolvimento dos pequenos flamingos.

Os filhotes ficam sob cuidado atento dos pais. Tanto o macho quanto a fêmea participam do período de incubação dos ovos e ajudam nos primeiros cuidados quando eles nascem.

Paloma Bosso, diretora técnica do Parque das Aves, conta que essas belas aves possuem várias peculiaridades. “Quando filhotes, os flamingos possuem uma penugem cinzenta, tornando-se cor-de-rosa na fase adulta.  Na natureza vivem em bandos que podem chegar aos milhares de indivíduos. Estas aves de pernas longas atingem facilmente mais de 1 metro de altura, e são muito conhecidas por se equilibrarem numa perna só.”

Reprodução sob cuidados humanos

O Parque das Aves é referência internacional em reprodução tanto de flamingos africanos quanto de chilenos. A reprodução começou em 2004 e desde então o Lago dos Flamingos se tornou uma das áreas que mais chamam a atenção dos visitantes.

Paloma Bosso comenta ainda sobre o encantamento que eles proporcionam aos visitantes, e como isso é importante para a conservação inclusive de outras espécies.

“Os flamingos realmente despertam um encantamento nas pessoas, que muitas vezes vêm ao Parque com o objetivo de conhecê-los, mas é interessante observar que muitos visitantes saem igualmente encantados com aves relacionadas a outros projetos de conservação da Mata Atlântica”, explica Paloma.

Sala dos Filhotes

É normal que alguns filhotes necessitem de cuidados especiais, ou que existam casais de flamingos que não tenham o cuidado adequado com o ovo. Por isso, quando há algum risco para o filhote ou o ovo ambos são levados para a Sala dos Filhotes. Quando isso acontece, os profissionais da instituição entram em ação e cuidam dessas aves até seus primeiros meses de idade.

“Nesse caso, a equipe recolhe o ovo e o incuba artificialmente ou recolhe o filhote e o mantém protegido e bem alimentado. Ele gradativamente vai sendo acomodado em recintos cada vez maiores, e com uma variada gama de estímulos ambientais. Quando o filhote estiver adulto, e pronto para interagir com os outros de sua espécie, ele volta a conviver com este bando no Lago dos Flamingos”, explica Paloma.

(Assessoria)