PUBLICIDADE

Itaipu e governo do PR assinam convênio para iluminar BR-277 entre Foz e São Miguel

Iluminação é reivindicação antiga dos moradores e motoristas. Segundo a PRF, os 21 quilômetros de trecho urbano da rodovia, que passam também por Santa Terezinha de Itaipu, apresentam altos índices de acidentes à noite

Proprietário de uma rede de postos de combustíveis, um deles localizado nas margens da BR-277, na saída de Foz do Iguaçu sentido Curitiba, Fabio Teixeira é claro e direto ao responder sobre qual o maior problema da região onde trabalha: a falta de iluminação na rodovia. “Convivemos com a insegurança, pois na estrada a escuridão é total e nos sentimos desguarnecidos”, diz. Mas a luz está próxima: na semana passada, Itaipu e o governo do Paraná assinaram convênio para iluminar 21 quilômetros de trechos urbanos da BR-277 entre Foz e São Miguel do Iguaçu.

“Esta é uma demanda antiga dos motoristas, que procuram parar no lugar onde se sentem mais protegidos em relação a assaltos e ao próprio trânsito. A iluminação traz isso”, afirma Teixeira. “É uma ação extremamente positiva. É sensacional. A Itaipu é uma mãe.”

Morador de Santa Terezinha de Itaipu e dono de uma transportadora localizada na BR-277, no bairro de Três Lagoas, em Foz, Gabriel Meurer também comemora a notícia. “O impacto será muito positivo para a segurança, o trânsito e a visibilidade do comércio.”

Ainda este ano

Todos os trechos urbanos da BR-277, entre Foz do Iguaçu e São Miguel do Iguaçu, passando por Santa Terezinha de Itaipu, no Oeste do Paraná, serão iluminados, para garantir mais segurança aos usuários. A iluminação em 21 quilômetros da rodovia vai contribuir para reduzir as estatísticas de acidentes graves, com risco de morte, que acontecem principalmente à noite.

O contrato da iluminação viária neste trecho da BR-277 e outro, da nova ligação rodoviária entre Ramilândia e Santa Helena, foram publicados na semana passada no Diário Oficial do Estado. Os investimentos são da Itaipu e, juntos, somam R$ 44,8 milhões. O convênio de iluminação está em estágio mais adiantado, já na fase preparatória para a licitação. No entanto, há a expectativa de que as duas obras comecem ainda este ano.

O convênio de iluminação pública em LED, com investimentos de R$ 18 milhões, prevê novos postes na rodovia em Foz do Iguaçu, Santa Terezinha de Itaipu e São Miguel do Iguaçu. O outro convênio, de R$ 26 milhões, determina a implantação de uma interligação intermunicipal entre Ramilândia e Santa Helena, com trechos que também cortam os municípios de Missal e Diamante D´Oeste.

Duplicação

Também na semana passada foi publicado o edital de licitação de uma terceira obra, a duplicação da BR-277 entre o posto da Polícia Rodoviária Federal (PRF) e a Ferroeste, em Cascavel, na qual serão aplicados R$ 90 milhões.

Todas essas ações são consideradas fundamentais para melhorar a logística de escoamento das indústrias e do agronegócio, além de aumentar a segurança para os moradores do Oeste e turistas que visitam a região.

Mais luz, menos acidentes

As estatísticas da PRF confirmam: o número de acidentes graves no trecho da BR-277 que receberá a iluminação é muito superior no período noturno, o que torna a ação ainda mais providencial.

De 2017 para cá, entre os quilômetros 719 e 730, em Foz do Iguaçu, foram registrados 1.050 acidentes, 121 deles considerados graves. Destes, 43 (35,5%) ocorreram no período diurno e 78 (64,5%), no noturno. Já entre os quilômetros 707 e 712, em Santa Terezinha de Itaipu, foram contabilizados 118 acidentes, 20 graves, cinco (25%) de dia, 15 (75%) à noite. No trecho entre os quilômetros 686 e 691, em São Miguel, a PRF registrou 55 acidentes, 12 deles graves – três (25%) ocorridos durante o dia e nove (75%) à noite.

Em síntese: de 64% a 75% dos acidentes graves na BR-277 entre Foz e São Miguel do Iguaçu acontecem no período noturno. Com a iluminação, por meio desses convênios, a expectativa é que essas estatísticas caiam consideravelmente, a exemplo do que aconteceu após a iluminação da BR-277 em Medianeira e Matelândia. Para o chefe da Delegacia da PRF em Foz, Luiz Antônio Gênova, “essa medida vai salvar vidas”.

A reivindicação é antiga e agora encontra eco na atual gestão da Itaipu. Para o diretor-geral brasileiro da empresa, general Joaquim Silva e Luna, as obras estruturantes da binacional são extremamente importantes porque dão uma nova configuração econômica para a região e são essenciais para a manutenção e geração de empregos.

Quando se foca na segurança das pessoas, no entanto, essa importância relativa aumenta ainda mais. “Estamos lidando com a vida da nossa gente, nosso bem maior”, afirma. “Vamos continuar tendo como foco a melhoria da vida da nossa população. Está no nosso DNA e na nossa missão cuidar da nossa população.”

 

Rubens Fraulini/Itaipu Binacional

Facebook
Google+
Twitter