PUBLICIDADE

Itaipu economiza energia suficiente para iluminar 4 mil residências

Empresa investe em ações de eficiência energética por meio da Comissão Interna de Conservação de Energia.

 

Os esforços de redução do consumo interno de energia elétrica na Itaipu desde 1995, quando foi criada a Comissão Interna de Conservação de Energia (Cice), produziram uma economia de aproximadamente 24%. Essa redução no consumo interno seria suficiente para abastecer cerca de 4 mil casas. A conta tem como referência o consumo médio de uma residência, que é de 180 kWh/mês, segundo o Programa Nacional de Conservação de Energia (Procel).

Desde a criação da Cice, a Itaipu vem colocando em prática vários projetos para evitar o desperdício de energia. Entre as medidas que Itaipu adotou que geraram essa economia, estão as melhorias no Centro Executivo, como mudanças nas lâmpadas e luminárias, com redução média de 35% no consumo de energia do local; mudanças nos sistemas de iluminação viária, substituindo lâmpadas convencionais por luminárias LED, com redução de 62,5% da potência instalada, além da elevação da vida útil; alterações na estação de tratamento de água, com a substituição de bombas por modelos mais eficientes; entre outras ações.

Além disso, novos projetos desenvolvidos pela empresa, como o Data Center da Superintendência de Informática, também incorporaram conceitos de eficiência energética, alinhando-se com as estratégias adotadas pela Itaipu para o uso racional e eficiente dos recursos.

Esforços contínuos

Os esforços de Itaipu para a redução do consumo próprio e do desperdício de energia – atitudes que se mostram ainda mais importantes frente à crise hídrica que o país vem enfrentando – vêm de longa data. A Cice mantém desde sua criação programa constante de eficientização das instalações e edificações, e acompanhamento das ações realizadas pelas diversas áreas da empresa.

As ações desenvolvidas pela binacional receberam, em 1998, a honra máxima da eficiência energética no Brasil: o prêmio Procel, concedido pelo Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica, coordenado pelo Ministério de Minas e Energia.

Em 2001, quando o país enfrentou o racionamento de energia, foi criada a Câmara de Gestão da Crise de Energia Elétrica (GCE), com a finalidade de propor e implantar medidas de natureza emergencial decorrentes da situação hidrológica do país. O subcoordenador da Câmara era o então diretor-geral brasileiro da Itaipu, Euclides Scalco.

Além disso, a Itaipu participa de vários comitês externos, como o Comitê Integrado de Eficiência Energética do Sistema Eletrobras (Cieese), o Comitê de Eficiência Energética do Ministério de Minas e Energia do Paraguai (CNEE) e o Comitê de Integração Energética Regional da América Latina (Cier).

Crédito: Rubens Fraulini/Itaipu Binacional

Facebook
Google+
Twitter