PUBLICIDADE

Ministro da Justiça visita instalações do Centro Integrado de Operações Fronteiriças (CIOF)

Estrutura fica localizada no Parque Tecnológico Itaipu, na área da Itaipu Binacional, em Foz do Iguaçu (PR).

 

O Ministro da Justiça e Segurança Pública, Anderson Torres, esteve na Itaipu Binacional na manhã desta quinta-feira (14), para uma visita ao Centro Integrado de Operações Fronteiriças (CIOF), localizado no Parque Tecnológico Itaipu-Brasil, em Foz do Iguaçu (PR). Esta é a primeira visita dele, como ministro, ao Centro.

“Vim ao Paraná porque quero checar pessoalmente o andamento do Centro Integrado de Operações Fronteiriças, que tanto nos orgulha por evitar e combater ilícitos internacionais com seu trabalho 24 horas por dia, sete dias por semana”, afirmou Torres. Ele veio acompanhado do Secretário de Operações Integradas do Ministério da Justiça e Segurança Pública, Alfredo Carrijo; do diretor geral da Polícia Federal, Márcio Nunes de Oliveira; e de integrantes do seu Ministério, diplomatas e outros representantes da PF.

A comitiva ministerial foi recebida no Centro de Recepção de Visitantes da Itaipu pelo diretor-geral brasileiro da usina, almirante Anatalício Risden Junior; pelo diretor de Coordenação, Luiz Felipe Carbonell; e pelo chefe da Assessoria de Informações, almirante Paulo Tinoco.

Risden deu as boas-vindas ao grupo reforçando o bom relacionamento histórico entre as instituições. “A Itaipu se sente muito honrada pela presença do ministro e pela constante parceria”, disse. “Buscamos um alinhamento constante da Itaipu com o governo federal e seus ministérios, procurando sempre formar as melhores parcerias pelo Brasil”, ressaltou o diretor-geral brasileiro.

Após a recepção, o ministro e a comitiva foram até o PTI, onde o diretor de negócios e inovação do Parque, Rodrigo Regis, fez uma breve apresentação ao ministro, que mencionou recordar-se de ações que levam o nome do PTI, em Brasília, a exemplo do VemDF, projeto de compartilhamento de veículos elétricos desenvolvido pelo corpo técnico da instituição.

Em seguida, o ministro participou de uma reunião fechada com integrantes da pasta e, logo após, foi até o CIOF para conhecer pessoalmente os diferentes ambientes ocupados pela estrutura, em especial a sala de controle, onde profissionais de diversas frentes trabalham juntos, cruzando informações recebidas de diversas fontes para combater ilícitos e capturar criminosos.

CIOF

Inaugurado em dezembro de 2019, o CIOF ocupa uma área de 600 metros quadrados do Parque Tecnológico Itaipu e recebeu investimentos de R$ 2,9 milhões da Itaipu Binacional.

O projeto é inspirado na experiência de escritórios de monitoramento dos Estados Unidos, com o objetivo de intensificar a integração entre os órgãos de segurança pública, fortalecer a fiscalização das fronteiras e combater o crime organizado.

Dentre outros órgãos, o CIOF conta com a participação da Polícia Federal (PF), Polícia Rodoviária Federal (PRF), Agência Nacional de Inteligência (Abin), Ministério da Defesa, Unidade de Inteligência Financeira (UIF/Coaf), Receita Federal, Secretaria de Recuperação de Ativos e Cooperação Jurídica Internacional (DRCI) e Departamento Penitenciário Nacional (Depen).

Paraguai

A união de forças, tanto nacionais quanto internacionais, é uma importante arma no combate ao crime. Antes de chegar a Foz do Iguaçu, o ministro Anderson Torres esteve em Assunção, no Paraguai, apresentando a Aliança Estratégica contra o Crime Organizado Transnacional a autoridades daquele país.

“É uma iniciativa elaborada cuidadosamente pelo governo do Brasil que integrará os talentos das áreas de Segurança dos países do Cone Sul para intensificar e acelerar os duros golpes que estamos aplicando no crime organizado regionalmente”, disse Torres.

Créditos: Sara Cheida/Itaipu Binacional.

Facebook
Google+
Twitter