PUBLICIDADE

Na Itaipu, Governo do Paraná anuncia Museu de Arte Internacional em Foz do Iguaçu

Protocolos de intenção para implantação da unidade foram assinados nesta segunda-feira (27), no Centro Executivo da binacional. Complexo cultural terá parceria com Centro Pompidou, da França.

 

O Governo do Paraná anunciou nesta segunda-feira (27) a implantação do Museu de Arte Internacional de Foz do Iguaçu, em cooperação com o Centro Nacional de Arte e Cultura George Pompidou, de Paris, na França. O Centro Pompidou é um complexo multicultural que abriga uma das principais coleções de arte moderna e contemporânea do mundo.

Os protocolos de intenção para o novo espaço cultural foram assinados no Centro Executivo da Itaipu Binacional. A iniciativa envolve também a Prefeitura de Foz do Iguaçu, a Renault do Brasil, a própria Itaipu e o instituto francês.

O governador Carlos Massa Ratinho Junior afirmou que o investimento será importante para fortalecer o turismo em Foz do Iguaçu, o segundo destino mais procurado por visitantes estrangeiros no Brasil, e está alinhado à política de descentralização da cultura no Estado, uma das prioridades de sua gestão.

“Foz do Iguaçu recebe cerca de 2 milhões de turistas por ano. Se metade deste contingente ficar mais um dia para fazer turismo cultural, a estimativa é que sejam injetados mais R$ 400 milhões anuais na economia local”, declarou, lembrando que o turismo de museus movimenta bilhões de dólares no mundo.

A unidade brasileira será a primeira da América Latina – hoje, o Centro Pompidou mantém “antenas” (como são chamadas as extensões) apenas na Bélgica, Espanha e China.

“Receber esse museu é uma conquista que vai equiparar Foz do Iguaçu aos grandes centros internacionais de cultura. Tenho certeza de que a visitação no município vai aumentar muito com a nova estrutura”, afirmou o prefeito de Foz, Chico Brasileiro. “E a cultura com o turismo é um casamento perfeito”, completou, revelando que a administração já está analisando áreas que poderão abrigar o futuro museu. Segundo o prefeito, uma das possibilidades é instalar o centro de artes na região Norte de Foz, onde está a Itaipu, fortalecendo o turismo local.

O diretor-geral brasileiro de Itaipu, Anatalicio Risden Junior, destacou que o novo museu, além de incrementar o turismo, contribuirá para a pesquisa e a preservação da memória cultural e atende à política do governo federal de desburocratizar e expandir o setor cultural. Também transformará a região, reconhecida pela beleza das Cataratas do Iguaçu e a grandeza da hidrelétrica de Itaipu, em referência nas artes.

“Contar com a cooperação do Centro Nacional de Arte de Cultura George Pompidou realça a magnitude e valorização desse museu, já que o Centro Pompidou abriga, hoje, o maior acervo de arte contemporânea da Europa, além de possuir um centro de pesquisa musical e acústica, cinemas e biblioteca pública”, salientou Risden.

A assinatura dos protocolos de intenção acontece após período de negociações entre o Estado e o instituto francês. O próximo passo será definir as necessidades e a conceituação do espaço – essa fase está prevista para durar até dez meses e contará com a participação da equipe técnica do Centro Pompidou.

Em seguida, ainda no primeiro semestre de 2023, a expectativa é lançar um concurso para escolha do projeto arquitetônico do novo museu. O espaço deverá ter 10 mil metros quadrados, com capacidade para abrigar variadas manifestações culturais e incentivar a produção cultural da região.

A superintendente-geral da Cultura do Estado do Paraná, Luciana Casagrande Pereira, observou que o projeto não contempla somente um museu de arte, mas um efervescente complexo cultural, a exemplo do que acontece em Paris. “O Pompidou trabalha com todas as linguagens – música, cinema, literatura, dança – e atua muito forte com a questão educativa, para formação de plateia, o que será importante para a região Oeste do Estado.”

Coordenador internacional do projeto pelo Centro Pompidou, Marc Pottier classificou a atual fase da parceria como um “namoro”, mas disse estar otimista com um casamento em breve. Ele lembrou que o acervo do museu em Paris já tem trabalhos de artistas brasileiros, como Tunga e Lygia Clark, e o novo empreendimento poderá favorecer um maior intercâmbio entre Brasil e França. “Acho que esse é um dos pontos fortes do projeto.”

A cerimônia para a assinatura dos protocolos de intenção também reuniu o deputado federal Vermelho; o secretário de Estado da Cultura, João Debiasi; o diretor de Relações Governamentais da Renault do Brasil, Marcus Vinicius Aguiar; o diretor-presidente da Sanepar, Claudio Stabile; diretores e conselheiros de Itaipu e outras autoridades locais, estaduais e nacionais.

Sobre o Centro Pompidou

Inaugurado em 1977, em Paris, o Centro Nacional de Arte e Cultura George Pompidou mantém em seu acervo mestres da arte moderna e contemporânea, como Picasso, Matisse, Kandinsky e Miró. Abriga ainda biblioteca, ateliê de escultura, cinema e centro de música e estudos acústicos, sendo um dos pontos de encontro mais procurados por parisienses e visitantes.

Créditos: Rafael Kondlatsch/Itaipu Binacional.

Facebook
Google+
Twitter