PUBLICIDADE

Obra da ciclovia na Avenida Tancredo Neves concentra trabalhos em contenção do solo

No total, serão 6,8 km de melhorias na rodovia, com investimento de R$ 18 milhões da Itaipu Binacional. Término da obra está previsto para 2023

Avançam as obras do terceiro trecho da ciclovia na Avenida Tancredo Neves, nos 3,2 quilômetros entre a ponte do Rio Almada e o viaduto da BR-277. O foco do trabalho dos profissionais da contratada Sinalpar é fazer a contenção do solo em três trechos, em áreas de desnível, que totalizam cerca de um quilômetro. O custo dessa fase do projeto é de R$ 9,1 milhões, cedidos pela Itaipu Binacional, como forma de investimentos em obras estruturantes na região, conforme orientação do Governo Federal.

Segundo o técnico em obras Emerson Luis Volkweis, da Divisão de Infraestrutura e Manutenção da Itaipu, a contenção do solo é fundamental para que a ciclovia e a calçada não cedam e que a terra não invada os terrenos vizinhos. Para isso, serão movimentados 12 mil m³ de terra, além de colocados 4 mil m³ de gabião, uma gaiola metálica cheia de pedras. “É um trabalho bastante artesanal, as pedras são encaixadas dentro dessas gaiolas para formar o gabião”, explica Emerson.

Além da movimentação da terra para colocação do gabião, será instalada uma nova rede de drenagem, com a colocação de tubos de concreto na extensão de toda a via. Após o trabalho estrutural, a área passará pela terraplanagem e serão aplicados o piso asfáltico da ciclovia e o piso em paver da calçada. Toda a rede elétrica também está sendo instalada, para alimentar os novos postes de luz, com 4,5 metros de altura.

Para a construção do trecho, serão retiradas 40 árvores nativas. Como forma de compensação, Itaipu vai promover um replantio quase 10 vezes superior ao corte. Serão plantas 370 mudas de árvores nativas, a maior parte no trecho da ciclovia, seguindo o licenciamento ambiental da obra.

A terceira fase das obras foi iniciada em novembro do ano passado e tem um prazo de conclusão de 18 meses, com entrega prevista para 2023. Quando concluídas, as três fases totalizarão 6,8 km de melhorias na rodovia com ciclovia, calçamento, iluminação, rede de drenagem, além de novas travessias elevadas em vários pontos e a repintura de toda a pista. O investimento total é de R$ 18 milhões da margem brasileira da Itaipu.

Histórico

A primeira fase, de 1,6 km de extensão, entre a barreira de controle da usina e o cruzamento com a Avenida Tarquínio Joslin dos Santos, recebeu R$ 3 milhões de investimento e foi executada entre março de 2018 e agosto de 2019. A segunda fase, de 2 km de extensão, até a ponte do Rio Almada, recebeu R$ 6 milhões e foi executada entre junho de 2019 e maio de 2021.

Sinalização horizontal

Além das obras da ciclovia e calçamento, foi concluída nos últimos dias a manutenção de toda a sinalização horizontal na Avenida Tancredo Neves, com a repintura de faixas e áreas zebradas nos dois sentidos dos 7 km da rodovia, além da aplicação de tachas e tachões refletivos de sinalização. O trabalho durou cerca de 15 dias e vai garantir uma melhor visibilidade da sinalização por cerca de três anos. O investimento é de R$ 865 mil da Itaipu.

Créditos: Rubens Fraulini/Itaipu Binacional.

Facebook
Google+
Twitter