PUBLICIDADE

Ponte da Integração fortalece política de transportes brasileira, diz ministro da Infraestrutura

Tarcísio Gomes de Freitas visitou o canteiro de obras nesta sexta-feira (17), elogiou o andamento dos trabalhos e destacou a importância das parcerias entre o governo federal e a Itaipu Binacional.

O ministro de Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, afirmou nesta sexta-feira (17), em Foz do Iguaçu (PR), que a Ponte da Integração Brasil-Paraguai, em construção sobre o Rio Paraná, vai contribuir para o incremento do comércio entre os dois países e será peça fundamental para a política de transportes brasileira, que é promover a integração entre os países sul-americanos.

A nova ponte internacional vai conectar Foz do Iguaçu a Presidente Franco, no departamento paraguaio de Alto Paraná. “Além da grande obra, um orgulho para a engenharia nacional, a Ponte da Integração terá um papel importante para o desenvolvimento de Brasil e Paraguai, criando um fluxo intenso de carga entre os dois países”, disse.

A visita desta sexta-feira foi a segunda do ministro ao canteiro de obras. Na primeira, em fevereiro de 2020, a construção estava com aproximadamente com 12% de execução; agora, chegou a quase 75% e a previsão é que seja concluída em setembro de 2020, dentro do cronograma previsto. “Apesar da complexidade, do grande desafio, a obra anda em bom ritmo. É um sinal de que houve planejamento”, avaliou.

Freitas também destacou a importância das parcerias para o fortalecimento da infraestrutura nacional. A Ponte da Integração é uma iniciativa do governo federal, com gestão do governo do Estado do Paraná e recursos da Itaipu Binacional, que está investindo R$ 323 milhões no projeto e outros R$ 336 milhões na Perimetral Leste.

“A parceria entre Itaipu Binacional, governo federal e o Estado do Paraná é fundamental. Sem ela, nós não teríamos recursos para que um empreendimento desta envergadura fosse levado a termo. Então é a criatividade, a união de esforços, a sinergia que está fazendo com que isso tudo se torne uma realidade”, acrescentou.

O ministro foi recebido no canteiro de obras pelo diretor-geral brasileiro de Itaipu, general João Francisco Ferreira. Também estavam presentes o ministro de Obras Públicas do Paraguai, Arnoldo Wiens Durksen; o prefeito de Foz do Iguaçu, Chico Brasileiro; o diretor-geral do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), Antônio Leite dos Santos Filho; e o secretário de Infraestrutura e Logística do Paraná, Sandro Alex – entre outras autoridades.

Durante a visita, Freitas e parte da comitiva subiram de elevador a uma plataforma do mastro principal na margem brasileiro, a aproximadamente 150 metros de altura. Da base ao topo, a torre (em formato de “Y” invertido) soma 190 metros, equivalente a um prédio de 63 andares. “Do alto pudemos contemplar a grandiosidade dessa obra que vai unir cada vez mais Brasil e Paraguai”, afirmou o general Ferreira.

“Temos a absoluta convicção de que o emprego desses recursos está contribuindo para que o Brasil realmente comece a decolar, que tenha obras estruturantes, e que tenha um desenvolvimento sustentável muito mais acentuado e rápido”, salientou o diretor da binacional. “A Itaipu se sente orgulhosa de participar dessa parceria.”

Além da ligação entre Foz do Iguaçu e Presidente Franco, já foi licitada outra ponte internacional entre os dois países, a chamada Ponte Bioceânica, conectando Porto Murtinho (MS) e Carmelo Peralta (departamento de Alto Paraguai), também com recursos da Itaipu.

Como vai ser

A Ponte da Integração Brasil-Paraguai terá 760 metros de extensão e vão-livre de 470 metros, o maior da América do Sul. Serão duas pistas com 3,6 metros de largura, acostamento de 3 metros e calçada de 1,70 metro nas laterais. A estrutura será maior que a Ponte Internacional da Amizade, hoje única ligação do Brasil com o Paraguai sobre o Rio Paraná, e está localizada próxima à confluência com o Rio Iguaçu, no Marco das Três Fronteiras.

Paralelamente às obras da nova ponte, está em construção a Perimetral Leste, uma rodovia de 15 quilômetros de extensão que vai ligar a Ponte da Integração e a nova aduana argentina às rodovias BR-469 (Rodovia das Cataratas) e BR-277 (saída para Cascavel e Curitiba). Os recursos também são de Itaipu Binacional.

Investimentos de Itaipu

A Ponte da Integração e a Perimetral Leste integram o rol de obras estruturantes financiadas na região Oeste do Paraná pela margem brasileira da Itaipu – que incluem a duplicação da pista do Aeroporto Internacional de Foz do Iguaçu (já concluída), a revitalização do sistema de transmissão de Furnas, entre outras. A soma dos investimentos da empresa na região chega a R$ 2,5 bilhões.

Créditos: Rubens Fraulini/Itaipu Binacional.

Facebook
Google+
Twitter