PUBLICIDADE

Projeto de Educação Ambiental do PTI-BR e Itaipu Binacional trabalha sustentabilidade com alunos do Trilha Jovem

Objetivo é despertar nos jovens, no âmbito da sustentabilidade, a criatividade, cooperação e o desenvolvimento de novas habilidades voltadas a inserção profissional e social.

Compreender o que é sustentabilidade e como essa temática pode ser aplicada no dia a dia. Com esse objetivo, educadores do Centro de Competência Ciência e Educação do Parque Tecnológico Itaipu – Brasil (PTI-BR), estão desenvolvendo uma formação sobre sustentabilidade com os alunos do Trilha Jovem de Foz do Iguaçu.

As aulas fazem parte do Convênio Educação Ambiental, Ciência e Sustentabilidade II, firmado entre Itaipu Binacional e Fundação PTI-BR, visando contribuir com o desenvolvimento do capital intelectual da região. Ao todo, serão ministradas 80h de conhecimento aos alunos do Trilha Jovem, projeto de capacitação que visa a inserção social e profissional de aproximadamente 300 jovens entre 16 a 24 anos. O Projeto Trilha Jovem é uma realização do Polo Iguassu e conta com apoio da Itaipu Binacional, Prefeitura Municipal de Foz do Iguaçu e a FPTI-BR.

Durante a atividade os alunos possuem, por meio das metodologias ativas, autonomia sobre o aprendizado e a resolução de problemas. O desafio é: construir um protótipo para solucionar questões ambientais relacionadas as seis áreas de formação do curso, que são marketing, turismo, hotelaria e hospitalidade, comércio e administração.

Iniciando as atividades, os alunos são levados a conhecer o conceito da sustentabilidade: o que é, como ela é aplicada e onde pode ser aplicada no dia a dia. No momento do desafio, divididos por equipes, os participantes podem desenhar, escrever e encontrar a melhor forma para explicar a solução no papel. No módulo final, o projeto é apresentado por meio de um picht, potencializando a comunicação assertiva, além de despertar nos estudantes a criatividade, cooperação, comunicação, trabalho em equipe e empreendedorismo, habilidades necessárias para melhor desempenho no mercado de trabalho.

Novas competências

Para o aluno, Ismael Hassan da Silva Atwe, de 18 anos, a formação está oportunizando, muito mais do que vivenciar a sustentabilidade, mas também o desenvolvimento de novas competências. “Principalmente porque agora eu estou aprendendo a trabalhar em grupo e a dividir tarefas”, disse o jovem. Sobre o que mais está gostando, Ismael conta com entusiasmo: “É a união de todos para fazer projetos que vão ajudar a sociedade”, revela.

De acordo com a gestora do Centro de Competência Ciência e Educação, Andréa Pavei Schmoeller, o PTI-BR promove atividades de ensino voltadas a ciência, tecnologia e inovação e para isso, articula parcerias com instituições de ensino, tendo como premissa o conhecimento como a base para o desenvolvimento de soluções para problemas da sociedade e geração de inovações. “O Parque oferece para alunos e professores toda a estrutura necessária para a formação e capacitação, como salas de aulas e laboratórios de ensino e pesquisa. Essa ação com o Trilha Jovem, que atualmente tem suas atividades acontecendo dentro do espaço do PTI-BR, visa oportunizar aos estudantes a oportunidade de se desenvolverem, por meio da imersão em um ambiente de inovação que incentiva a pesquisa, a vivência profissional e as práticas de empreendedorismo”, destacou.

Mais conscientes

O coordenador pedagógico do Projeto Trilha Jovem, Wagner Grizorti, ressaltou a importância da educação na formação e desenvolvimento de cidadãos mais atuantes e comprometidos com a sustentabilidade. “Os jovens, por meio das aulas, são despertados para o senso social e alertados para a sustentabilidade em grupo”, afirmou.

Ainda, segundo Wagner, o processo do Ser sustentável é essencial para a preservação do meio ambiente. “Com ações sustentáveis os recursos naturais não se esgotam, podendo ser utilizados por gerações futuras, por isso, quando você faz a sua parte, deixa de prejudicar o meio ambiente. Quando o jovem identifica esse processo ele valoriza todo o movimento”, explicou o coordenador pedagógico. “Essa parceria, que profissionais da educação ambiental trazem com maestria, vem para fortalecer toda essa ação”, concluiu.

Créditos: Kiko Sierich/PTI.

Facebook
Google+
Twitter