PUBLICIDADE

PTI oferece oportunidade para empresas adaptarem seus negócios diante da pandemia do COVID-19

O edital da Incubadora do Parque foi prorrogado visando auxiliar os empresários na retomada econômica após o período de enfrentamento ao COVID-19

 

Empresas de médio e grande porte têm até o dia 30 de abril para cadastrarem suas demandas no Edital da Incubadora do Parque Tecnológico Itaipu (PTI-BR). A iniciativa tem como objetivo aumentar a competitividade de indústrias e negócios do Paraná, além de fortalecer e impulsionar novas startups. Cada empreendimento pode cadastrar até três problemas a serem resolvidos por empreendedores dispostos a propor soluções, que serão apresentadas na segunda fase do processo.

Em março, o PTI-BR optou por prorrogar o prazo das inscrições da primeira etapa do edital de incubação, visando auxiliar os empresários paranaenses na retomada econômica após o período de enfrentamento ao novo Coronavírus (COVID-19).

De acordo com o diretor de Negócios e Inovação do PTI-BR, Rodrigo Régis de Almeida Galvão, em tempos extraordinários há necessidade de ações excepcionais. É preciso que os empresários repensem seus modelos de negócios com foco na diminuição dos impactos negativos em seus processos produtivos.

O diretor cita o setor do turístico de Foz do Iguaçu como uma das atividades mais afetadas pela pandemia. Sem poder receber turistas e grandes eventos, devido as restrições do cenário atual, a previsão é que economia local seja amplamente afetada.

Neste cenário, é preciso identificar os principais entraves da categoria e apostar nas inovações como ferramentas que permitem a criação de diferentes soluções para o retorno das atividades e do resgate econômico.

Ao pontuar suas problemáticas, é importante que os empresários compartilhem essas demandas com outros empreendedores com potencial de resolução, reavaliação e criação de novos produto ou serviços que atendam as necessidades atuais do mercado, destacou Rodrigo Regis.

Além do Turismo e Cidades, outras áreas temáticas se enquadram no edital do PTI, são elas: Agronegócio; Energia e Segurança de Infraestruturas Críticas – relativas a ativos e serviços essenciais para a população.

Rodrigo ressaltou ainda que as demandas podem abranger diversas opções de aprimoramento aos canais de vendas, entregas e relacionamento com os clientes e fornecedores, melhoria da eficiência energética, rastreabilidade dos produtos, otimização de processos industriais, até o desenvolvimento de hardwares ou softwares, conforme necessidade. “O importante é que os empresários e interessados tragam suas dores até nós para que, juntos, possamos encontrar uma saída”, finalizou.

Para fazer o cadastro, basta preencher um formulário e anexar alguns documentos da empresa, por meio do link: [ https://webforms.pti.org.br/inovacaocorporativa. | https://webforms.pti.org.br/inovacaocorporativa.  ]

Segunda etapa

Na segunda fase do edital, prevista para 13 de maio e 22 de junho, empreendedores e startups poderão inscrever suas ideias e propostas de soluções para estas demandas.

A Incubadora do Parque Tecnológico vai selecionar 48 propostas, que receberão uma bolsa-auxílio para o desenvolvimento de um protótipo, durante dois meses.

Os protótipos serão avaliados pelas empresas demandantes e os oito projetos com maior pontuação entrarão para a incubação no PTI, onde terão acesso a toda estrutura da instituição, que inclui coworking, sala de prototipação e sala de design thinking da Incubadora, laboratórios, serviços e demais espaços do Parque.

Também receberão consultorias e mentorias, além de recursos para dar suporte ao desenvolvimento do produto, em um prazo de até doze meses.

O edital com todas as informações está disponível no link: pti.org.br/incubadorasantosdumont.

Facebook
Google+
Twitter