PUBLICIDADE

Saúde recebe mais 250 litros de álcool glicerinado produzido pela Unila

Parceria garante repasse de grande quantidade do produto às unidades de saúde

 

A Prefeitura de Foz do Iguaçu recebeu na tarde de ontem (02), o segundo lote de álcool glicerinado 80% produzido pela Universidade Federal da Integração Latino-Americana (Unila). Foram entregues 250 litros em frascos de 500 ml, que serão repassados às unidades básicas de saúde do município.

A Unila também entregou 50 litros para a 9º Regional de Saúde e 100 litros Distrito Sanitário Especial Indígena Litoral Sul /DSEI LSUL. Este foi o segundo lote de doações feito pela universidade à prefeitura. A primeira entrega ocorreu no dia 14 de abril.

O vice-prefeito, Nilton Bobato, esteve no ato da entrega e elogiou a parceria. “Esse tipo de ação da Unila vem suprir uma necessidade do município para o atendimento aos trabalhadores e para a população, exatamente no momento quando esse tipo de insumo é de fundamental importância”. O secretário de Saúde, Giuliano Inzis também elogiou a iniciativa. “A colaboração vinda da Unila é um exemplo de união e empatia”.

O vice-reitor da Unila, Luiz Evelio Garcia, reforçou o comprometimento com a colaboração à comunidade em meio à pandemia. “Essa ação é possível pelo comprometimento e o esforço da comunidade acadêmica e comunidade externa. A produção conta com a presença de alunos, técnicos, professores e membros da comunidade externa, que demonstraram comprometimento significativo, sem o qual não conseguiríamos levar adiante somente como instituição”, disse.

A produção do álcool glicerinado é realizada com auxílio de recursos do Ministério da Educação (MEC) e colaboração do Hospital Ministro do Costa Cavalcanti, além da empresa Inova (embalagens). “Continuamos produzindo e queremos entregar essa quantidade que entregamos hoje toda a semana nos próximos dois ou três meses. Vamos continuar dando nossa contribuição com ações municipais de combate à COVID-19”, confirmou o vice-reitor.

Toda a produção segue determinações da organização Mundial da Saúde (OMS) e atende a exigências da Vigilância Sanitária.

Facebook
Google+
Twitter