PUBLICIDADE

CRISE OU OPORTUNIDADE?

A palavra crise quando escrita em chinês, compõe-se de dois caracteres: um representando perigo e outro representando oportunidade.

Diante disso, podemos afirmar que estamos diariamente expostos a essa crise (perigo + oportunidade) em todos os segmentos de nossas vidas, incluindo a área financeira, uma vez que ao diversificarmos os nossos investimentos, estamos preocupados em ficarmos menos expostos a perigos, aproveitando as melhores oportunidades existentes naquele momento de decisão.

Por exemplo, em um caso de queda das aplicações em renda variável, quase que certamente as aplicações em renda fixa estarão em sentido oposto, ou seja, gerando resultados positivos, reduzindo os riscos de perda em seus investimentos.

Para os investidores que desejam aproveitar as altas taxas de juros, garantindo seu custo de oportunidade a médio e longo prazo, o mercado se torna favorável para aqueles que, ao invés de simplesmente pagarem juros em dívidas, preferem utilizá-los a seu favor, aumentando seu patrimônio financeiro, através de aplicações e investimentos realizados de maneira coerente e regular.

Uma história, bastante interessante, que contribui para entendermos o que é ter uma visão de oportunidade em um ambiente de perigo, é a de uma grande empresa calçadista.

Esta empresa enviou dois de seus melhores vendedores para a China, que foram encarregados a darem seus pareceres sobre a oportunidade que a empresa teria para iniciar e expandir seus negócios naquele país.

Feita a análise por ambos os vendedores, o primeiro enviou um relatório à matriz da empresa calçadista, tendo como base uma visão de curto prazo, com o seguinte parecer: “Será um desperdício iniciarmos negócios em solo chinês, pois foi constatado que os chineses andam descalços ou calçam chinelos de madeira e por essa razão, não vale a pena montarmos uma filial de nossa empresa em solo chinês, já que a população não está acostumada ou aculturada com o uso de nossos produtos (tênis)”.

O outro vendedor por sua vez, com uma visão de médio e longo prazo, constatou em seu relatório à empresa o seguinte parecer: “Naqueles pés descalços ou calçados rusticamente, há uma grande oportunidade para atendermos a população composta atualmente por cerca de 1.340.000.000 (um bilhão, trezentos e quarenta milhões) de pessoas, gerando assim um grande resultado com a venda de nossos produtos (tênis)”.

Verificamos que duas pessoas iguais em sua atividade, com conhecimento e nível intelectual semelhante, podem possuir visões completamente diferentes.

E você?

Qual a visão que você possui?

Do primeiro ou do segundo vendedor?

Você possui uma visão de curto prazo ou de médio e longo prazo?

Pensando nessas perguntas e aliados à nossa realidade financeira, especialistas afirmam que o ano de 2021 não será fácil, devido aos impactos causados com a pandemia do novo coronavírus, do aumento dos custos com energia elétrica e transporte, além da retração do nosso PIB (Produto Interno Bruto) e o possível aumento na SELIC (Taxa Básica de Juros), está também o risco no aumento do desemprego.

Vendo a atual situação econômica brasileira, existem duas opções bem claras para cada um de nós.

A primeira é ficarmos de braços cruzados (visão do primeiro vendedor) e a segunda é buscarmos meios pelos quais possamos aumentar a nossa renda (visão do segundo vendedor), pois, querendo ou não, esta tendência não será apenas para este ano, mas sim, para os próximos anos, levando as pessoas a trabalharem mais e ganharem menos no mercado tradicional, principalmente se não fizerem parte das profissões do futuro, já que as profissões do presente estão com as faixas de salário bem definidas há décadas, muito diferente dos anos em que os nossos pais e avós viveram com grande oferta de empregos e mercado aquecido, onde uma pessoa poderia, sem maiores dificuldades, deixar seu trabalho para buscar outro, que agregasse maiores benefícios e melhores salários.

Porém, a situação atual já não é tão favorável.

Devido ao advento da tecnologia e da automação de processos, substituindo os postos de trabalho por máquinas e computadores, terceirizando ou até mesmo quarteirizando as atividades dos postos de trabalho para redução de encargos trabalhistas, tudo mudou no mercado de trabalho e a remuneração inevitavelmente foi reduzida, gerando uma necessidade urgente nas pessoas de especialização para a manutenção de seus empregos.

Portanto, neste cenário de crise, é preciso se preocupar em aumentar a sua renda mensal, pois, se não é mais possível fazer horas extras para aumentar os salários no fim do mês, é preciso criar uma oportunidade imediata, de desenvolver outras fontes de receita, atuando de maneira constante, consistente e equilibrada.

Ainda dá tempo de fazer deste ano o melhor ano de sua vida, tenha foco, valorize e desenvolva seu potencial empreendedor. Acredite em você e inicie desde já o seu planejamento financeiro, fazendo de 2021 um ano mais planejado e repleto de conquistas, rumo à sua independência financeira e de sua família.

Alexandre Ferreira da Silva
Educador e Analista Financeiro

Facebook
Google+
Twitter