PUBLICIDADE

Exibição da Itaipu é sucesso na Expo Dubai, mostrando como a água sustenta os ecossistemas e a economia do Brasil

Em 12 dias, mais de 400 mil pessoas estiveram no Pavilhão Brasil e conheceram atrações que destacam os cuidados com a água.

 

A partir de um tema ainda pouco conhecido do público em geral, os chamados rios voadores, a Itaipu Binacional atraiu mais de 400 mil pessoas ao Pavilhão Brasil na Expo Dubai em apenas 12 dias, contribuindo para o País ultrapassar a marca de 2 milhões de visitantes e mostrando, com tecnologias imersivas e interativas, como a água, a biodiversidade, o clima e a produção de energia sustentável são interdependentes.

Os rios voadores que partem da Amazônia carregam mais água na atmosfera do que o próprio Rio Amazonas. Sua formação começa sobre o Oceano Atlântico. Quando a umidade passa sobre a Floresta Amazônica, a transpiração das árvores acrescenta ainda mais volume à corrente que, no Oeste, encontra a Cordilheira dos Andes. Parte dessa massa d’água em forma de vapor retorna para a Amazônia e chove sobre a floresta. Parte é desviada em direção às regiões Sudeste e Sul, contribuindo, inclusive, para alimentar o reservatório da Itaipu e gerar cerca de 8% da eletricidade consumida no Brasil e 85% no Paraguai.

Em uma região de escassez de recursos hídricos como o Oriente Médio, o conceito da mostra chamou a atenção do público de forma lúdica e interativa. Exposições universais têm como objetivo principal mostrar o que cada país tem de melhor. E a presença da Itaipu exemplifica um projeto que não apenas gera benefícios econômicos, mas também sociais e ambientais.

“A Itaipu mostrou, na Expo Dubai, como é possível aplicar os princípios do desenvolvimento sustentável e gerar energia limpa e renovável aliada à preservação do meio ambiente e à evolução social e econômica da sociedade”, afirmou o diretor de Coordenação da Itaipu, general Luiz Felipe Carbonell. “Essa é, também, uma meta do Brasil”, acrescentou.

Como exemplo do cuidado com as águas, destaca-se o cinturão verde de mais de 100 mil hectares de Mata Atlântica protegidos pela empresa, em ambas as margens do reservatório, e que se estende por 170 km de fronteira entre Brasil e Paraguai. Somente na margem brasileira, Itaipu plantou mais de 24 milhões de árvores, permitindo a reconexão de ecossistemas, especialmente a ligação entre os parques nacionais do Iguaçu, ao sul, e Ilha Grande, ao norte, por meio da faixa de proteção do reservatório. Em conjunto, as áreas protegidas no Brasil e no Paraguai contribuem para a fixação de 5,9 milhões de toneladas de carbono por ano.

Para Raphael Nascimento, da Agência Brasileira de Promoção das Exportações e Investimentos (Apex) e diretor do Pavilhão Brasil, a Itaipu “fecha com chave de ouro a participação do País” na Expo. “Itaipu expõe em sintonia com a essência da Exposição Universal, que tem uma dimensão de entretenimento, de mesmerizar o visitante com o que cada país tem de mais fantástico. E o tema escolhido pela Itaipu, a água como movimento, vida e energia, se conecta completamente com os três pilares da sustentabilidade retratados no pavilhão, comprovando que o negócio da empresa não é só gerar energia, mas promover o desenvolvimento sustentável”, sintetizou o diretor.

Números

Com uma exposição de 12 dias na etapa final da Expo Dubai (de 20 a 31 de março), na Semana da Água, Itaipu contribuiu diretamente para que o Pavilhão Brasil ultrapasse a marca de 2 milhões de visitantes a dois dias do fim do evento. Antes, a expectativa era de que o movimento em seis meses de Expo chegaria a algo em torno de 1,85 milhão de visitantes, com uma média diária de cerca de 10 mil pessoas. Com a presença da Itaipu, a média passou a ser de quase 30 mil visitantes diários, conforme os dados apurados até a manhã desta quinta-feira (31). Oito, dos 10 dias de maior visitação do pavilhão ao longo de seis meses, ocorreram com a presença da binacional. Ao todo, cerca de 400 mil pessoas de todo o mundo viram a exposição da binacional.

Nesta quinta-feira (31), no Pavilhão Brasil, a exposição foi oficialmente encerrada, com a presença do comissário geral do Brasil na Expo Dubai, Elias Martins Filho, do embaixador do Brasil nos Emirados Árabes Unidos (EAU), Fernando Igreja, do conselheiro da Itaipu, José Carlos Aleluia, e de equipes da Apex-Brasil e da binacional. O ministro de Minas e Energia, almirante Bento Albuquerque Júnior, enviou uma mensagem por vídeo, em que enalteceu a presença da Itaipu, contribuindo para a imagem positiva do Brasil na exposição universal.

Créditos: Rodrigo Sodré/Itaipu Binacional.

Facebook
Google+
Twitter