PUBLICIDADE

Foztrans atua para promover aceitação de CHN e documento digital nos países da tríplice fronteira

Encontro realizado na Acifi reuniu representantes do Foztrans, Codefoz, Polícias Rodoviária Federal e Militar, Detran e Guarda Municipal

O Foztrans – Instituto de Transportes e Trânsito de Foz do Iguaçu quer resolver o problema que motoristas brasileiros encontram no Paraguai quando não têm a Carteira Nacional de Habilitação e documentos do veículo em papéis.

Uma comitiva formada por representantes do Foztrans, Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social de Foz do Iguaçu (Codefoz), polícias Rodoviária Federal e Militar, Detran e Secretaria de Segurança Pública promoveu na tarde desta quinta-feira (28), na Associação Comercial de Foz do Iguaçu (Acifi), uma rodada de conversa para definir estratégias para regular a circulação e o acatamento da Carteira Nacional de Habilitação (CNH) e Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo (CRLV) no formato digital pelos países vizinhos.

Entre as tarefas definidas no encontro estão a criação de uma agenda envolvendo a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), a Direção Nacional de Transporte (Dinatran) do Paraguai e demais instituições representativas do setor de transporte e de segurança das fronteiras. A intenção é formalizar uma resolução para o acatamento do documento digital no país e, na falta dele, da versão impressa.

Além disso, uma das propostas que deve entrar na pauta dessa próxima reunião é a formação de uma frente de trabalho para ampliar a comunicação da medida a todos os agentes que atuam na fiscalização do trânsito e do transporte nas fronteiras.

Histórico

O assunto veio à tona após um casal brasileiro ser impedido de acessar ao país vizinho pois portava os documentos no formato digital. A decisão que estipula o fim dos documentos físicos e a emissão exclusiva no formato digital começou a vigorar recentemente no país e tem gerado vários contratempos a motoristas que ingressam no país vizinho.

Alinhamento

A reunião convocada pelo diretor superintendente do Foztrans, Licério Santos, buscou integrar todos os setores diretamente envolvidos na questão para buscar soluções e protocolos comuns entre os países que compartilham a mesma fronteira.

“Nós temos como prisma a relação de reciprocidade e harmonia entre os municípios dos países vizinhos que coabitam conosco e, por isso, nós como moradores da fronteira, precisamos levar nossas demandas ao Mercosul e às instituições nacionais e internacionais responsáveis pelo trânsito para avançar nas tratativas para informar, organizar e alinhar essa nova medida adotada no Brasil e que se transformou no nosso novo documento”, explicou Santos.

A comissão também debateu a questão da regulação das cartas de seguro obrigatório envolvendo os dois países e criará uma agenda comum para tratar do assunto.

Participaram do encontro, o secretário municipal de Segurança Pública, Reginaldo Silva, o Coordenador de Trânsito da secretaria, Cleumar Paulo Faria, o Tenente Coronel da 14° BPM, Marcos Kamakawa, a segunda tenente do 14° BPM Saara Flexa, o presidente do Codefoz, Mário Alberto de Camargo, o representante da Acifi, Dimas Braganolo e o diretor do Detran, Alexandre Freire.

Facebook
Google+
Twitter