PUBLICIDADE

Telhas antigas do Ecomuseu serão doadas a famílias iguaçuenses pela Cáritas

Como o prédio está sendo revitalizado dentro de um projeto de modernização, o material foi repassado à entidade, que fará a entrega aos beneficiários.

 

Cerca de cinco mil telhas de argila retiradas do Ecomuseu de Itaipu foram doadas à Cáritas de Foz do Iguaçu, no último dia 8. Agora, elas serão repassadas pela instituição a famílias em situação de vulnerabilidade e levarão para esses lares um pouquinho da história deste espaço, que preserva o passado da própria região.

Como as telhas antigas não se ajustariam à nova estrutura do telhado – o prédio passa por reformas e modernização –, Itaipu ofereceu o material às entidades de Foz do Iguaçu, em vez de descartá-las como entulho. A Cáritas, organização vinculada à Igreja Católica, fez o pedido e foi atendida.

Segundo o presidente da Cáritas Foz do Iguaçu, padre Sergio Bertotti, as telhas oriundas do Ecomuseu vão atender famílias da região da Vila C, Porto Meira, Três Bandeiras, entre outros bairros.

A entidade atende muitas famílias em situação de vulnerabilidade, cujas casas nem sempre têm condição adequada, apresentando telhados com muitas goteiras ou até mesmo feitos com materiais impróprios. “Com certeza, elas permanecerão úteis por muitos anos. E, de alguma forma, continuarão a história da nossa região na casa de alguma família”, disse o padre.

Quem tiver materiais de construção, sejam telhas, madeiras, areia, tijolos, entre outros, pode doar à Cáritas, que repassará às famílias cadastradas. Doações de móveis, eletrodomésticos, colchões e outros utensílios para a casa também são bem-vindos. O contato é (45) 3527-1058 ou diretamente na secretaria da Paróquia do Porto Meira.

Passado, presente e futuro

O prédio do Ecomuseu foi construído na época das obras da barragem para abrigar um centro de seleção e contratação de empregados. As telhas retiradas são “originais”, datando deste período.

Em outubro de 2022, o Ecomuseu de Itaipu completa 35 anos e, quando a data chegar, estará totalmente revitalizado, sem perder o seu papel fundamental, que é preservar a memória regional e contribuir para a educação ambiental e valorização da cultura.

As obras já começaram e o espaço será ampliado, com novas atrações. Uma delas será a transferência do Polo Astronômico Casimiro Montenegro Filho do Parque Tecnológico Itaipu (PTI) para um prédio novo no Ecomuseu, onde vai ganhar sala de projeção e um telescópio mais potente.

No projeto estão previstos nova fachada, nova entrada de visitantes, construção de prédio anexo para exposições e ações educativas, loja de suvenires, bistrô com produtos regionais e um auditório para 150 pessoas. Um espaço dedicado à educação, ciência e tecnologia abrigará acervo dos programas de energias renováveis de Itaipu, incluindo protótipos elétricos. Estão previstas também reformas para garantia de acessibilidade universal, modernização de banheiros e guarda-volumes.

Créditos: Árvore Filmes/Sky Takes

Facebook
Google+
Twitter