PUBLICIDADE

Atividades pedagógicas envolvem 130 alunos de comunidades indígenas

Jovens receberam informações sobre plantas medicinais e plantaram mudas doadas por Itaipu nas hortas das escolas. Ação integrou atividades da Semana do Meio Ambiente.

 

Mais de 130 alunos de escolas indígenas da região participaram, no início do mês, de oficinas sobre plantas medicinais, alimentícias não convencionais (PANC), condimentares e aromáticas. Eles também fizeram o plantio de mudas doadas por Itaipu nas hortas das escolas.

As atividades envolveram alunos do 1º ao 5º ano do ensino fundamental e foram conduzidas por Marcos Carvalho, da Divisão de Ação Ambiental de Itaipu (área da empresa que atua com as comunidades indígenas), com o acompanhamento de professores e diretores das escolas e lideranças indígenas.

No dia 7 de junho, as ações foram na escola indígena Teko Ñemoingo, na comunidade do Ocoy, em São Miguel do Iguaçu (60 alunos); no dia 8, nas escolas indígenas Kuaa Mbo’e, na aldeia Añetete (32 alunos), e Araju Porã, na aldeia Itamarã (45 alunos), ambas em Diamante D’Oeste.

Segundo Sergio Angheben, da Divisão de Ação Ambiental da empresa, “essa ação foi parte de um conjunto de atividades desenvolvidas na Semana do Meio Ambiente, trazendo o tema nas escolas indígenas, sobre a tradição dos guaranis no uso de plantas medicinais, aromáticas e condimentares”. “Temos como exemplo o costume do consumo do chimarrão e do tereré, que foi incorporado na nossa cultura, originalmente utilizado pelos povos indígenas”, explicou.

Para a Itaipu, ele acrescenta, as plantas medicinais são uma importante ferramenta de conservação da biodiversidade, desenvolvimento econômico da região, valorização da cultura, e conscientização da população quanto à importância da conservação de espécies nativas.

Apoio a comunidades indígenas

A Itaipu mantém convênios com os municípios de São Miguel do Iguaçu e Diamante D’Oeste, por meio do Programa Sustentabilidade das Comunidades Indígenas, para dar apoio às três comunidades (Ocoy, Añetete e Itamarã).

O objetivo é promover o respeito à diversidade e a valorização da cultura guarani. Também busca a melhoria da qualidade de vida da população, promovendo a infraestrutura, a segurança alimentar e nutricional e fomentando a produção agropecuária.

Creditos: Divisão de Ação Ambiental/Itaipu Binacional.

Facebook
Google+
Twitter