PUBLICIDADE

Com ministros e governador, cerimônia marca o plantio de 24 milhões de árvores na Itaipu

Autoridades destacaram o pioneirismo da binacional, referência para o setor elétrico mundial nos cuidados com o meio ambiente.

 

Com a presença de ministros de estado, do governador do Paraná, prefeitos e parceiros da região Oeste do estado, a Itaipu Binacional comemorou nesta sexta-feira (3) o plantio da 24ª milionésima árvore na margem brasileira da usina. A marca coroa os esforços de restauração florestal que a empresa iniciou em 1979 e a colocam como referência mundial em cuidados ambientais.

Para o ministro do Meio Ambiente, Joaquim Leite, não se trata de um ato simbólico, uma vez que Itaipu efetivamente plantou 24 milhões de árvores. Ele, que liderou a missão brasileira à Conferência Mundial do Clima (COP 26), lembrou dos desafios que o mundo enfrenta: a necessidade de produzir energia limpa, recuperar a biodiversidade e sequestrar os gases de efeito estufa. “E é uma satisfação muito grande ver que a Itaipu Binacional faz tudo isso ao mesmo tempo”, enfatizou.

O ministro Bento Albuquerque destacou a Itaipu como referência na aplicação dos princípios ESG (Meio Ambiente, Social e Governança, em inglês): a governança permite à empresa estabelecer recordes de produtividade e garantir o abastecimento mesmo em tempos de seca; o social se traduz em programas não apenas para pessoas em vulnerabilidade, mas também na geração de emprego e melhorias na infraestrutura regional; e o cuidado ambiental fica evidente no cuidado com a restauração florestal, por exemplo.

E destacou o pioneirismo da Itaipu em temas urgentes da agenda internacional, como a transição energética (a substituição dos combustíveis fósseis por renováveis). “Costumo dizer que a transição energética começou no Brasil há 50 anos, com a Itaipu, as usinas nucleares e o Proálcool”, afirmou.

O governador do Paraná, Carlos Massa Ratinho Junior, falou sobre a importante contribuição da Itaipu para a promoção da sustentabilidade no estado. Recente relatório da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) sobre a aplicação dos princípios da Agenda 2030 da ONU aponta o Paraná como exemplo de desenvolvimento sustentável. “A sustentabilidade faz parte do DNA da Itaipu. E esse trabalho inspirou outras empresas, como a Copel e Sanepar, a também atuarem com essa visão”, disse o governador, lembrando que o estado tem 94% da geração de energia ligada à fonte hídrica.

O diretor-geral brasileiro da Itaipu, general João Francisco Ferreira, lembrou que os esforços de restauração florestal da Itaipu estão diretamente ligados ao negócio da empresa. Isso porque a conservação dos ecossistemas contribui para a preservação da água e para a longevidade do reservatório, assegurando a produção de energia para o Brasil e para o Paraguai no longo prazo. Ele também destacou o reconhecimento do programa O Homem e a Biosfera, da Unesco, que em 2019 incluiu as áreas protegidas da Itaipu na Reserva da Biosfera da Mata Atlântica.

A campanha

A cerimônia realizada no Centro de Recepção de Visitantes (CRV) da Itaipu marca o encerramento da campanha comemorativa da marca de 24 milhões de árvores plantadas pelo lado brasileiro da binacional, iniciada no último Dia da Árvore. A iniciativa envolveu os empregados da empresa, comunidades e autoridades da região. Porém, como enfatizou o general Ferreira, “o trabalho de restauração continua e será realizado enquanto a Itaipu existir”.

Representantes dos diferentes públicos envolvidos com a restauração em suas diferentes fases, desde 1979, foram homenageados durante a cerimônia: Antonio Brolezi (morador de São Miguel do Iguaçu, participante desde o início da iniciativa); Robinson Matte (empregado que está se aposentando e atuou em vários municípios da região); Jorge Borges dos Santos (que atua na Divisão de Áreas Protegidas desde 1996, especialmente no Refúgio Biológico Bela Vista); e Jandir Schug (contratado da empresa Engenharia e Manejo Florestal – Emafi).

Ao final da cerimônia, os ministros, o governador e o diretor-geral foram convidados a também deixarem suas marcas nas ações ambientais da empresa, plantando árvores no Bosque do Visitante, junto ao CRV. Última autoridade a fazer o plantio, o general Ferreira quebrou o protocolo e convidou a engenheira florestal Veridiana Pereira, da Divisão de Áreas Protegidas da Itaipu, a realizar o plantio da 24ª milionésima árvore.

Principais números

100 mil hectares de florestas preservadas em ambas as margens do reservatório (Brasil e Paraguai).
34 mil hectares ou 47.620 campos de futebol é quanto a Itaipu restaurou da Mata Atlântica no Brasil.
28% da restauração da Mata Atlântica no PR em 30 anos foram realizados pela Itaipu.
400 mil mudas de árvores nativas da Mata Atlântica são produzidas anualmente no Viveiro da Itaipu.
1.400 km de extensão é o tamanho da mata ciliar do reservatório apenas no Brasil.

Créditos: Sara Cheida/Itaipu Binacional.

Facebook
Google+
Twitter