PUBLICIDADE

Hospital Municipal de Foz do Iguaçu zera internações na UTI Covid

A Itaipu Binacional ajudou no enfrentamento à doença e investiu mais de R$ 43 milhões em aquisição de equipamentos, medicamentos e contratação de pessoal. Redução dos casos graves é atribuída à elevada taxa de vacinação.

 

O Hospital Municipal Padre Germano Lauck, de Foz do Iguaçu (PR), zerou a ocupação dos leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) para casos de covid-19, na última semana. Para celebrar, um ato simbólico, na manhã desta segunda-feira (28), reuniu autoridades municipais, imprensa e trabalhadores da saúde. O almirante Luiz Carlos Faria Vieira, da Assistência da Direção Geral de Itaipu, representou o diretor-geral brasileiro, almirante Anatalicio Risden Junior.

Ao longo de dois anos de pandemia, o apoio da Itaipu Binacional foi fundamental no enfrentamento da doença no município e para a unidade hospitalar. A empresa celebrou três convênios com o hospital, com um investimento total de R$ 43.158.791,16. O valor foi utilizado na aquisição de medicamentos e insumos, na atualização tecnológica e ampliação dos serviços médicos do hospital, além da contratação de bolsistas de Medicina e Enfermagem para atendimento no Plantão Covid-19.

A queda no número de casos graves da doença é atribuída à elevada taxa de vacinação em Foz do Iguaçu, com 87,8% da população já imunizada com as duas doses.

Na cerimônia desta segunda-feira, o prefeito de Foz do Iguaçu, Chico Brasileiro, lembrou os investimentos na construção de três novas alas e do Pronto Atendimento Respiratório, estruturas que ficarão, agora, à disposição para atendimentos clínicos, cirurgias e outras internações. “É uma estrutura que fica para atender mais e melhor a população”, disse Brasileiro.

“Finalmente chegamos ao fim de uma fase tão difícil e esse momento só é possível graças a todas as entidades parceiras”, complementou o diretor do Hospital Municipal, Amon Mendes Franco de Sousa, que agradeceu à Prefeitura e aos parceiros, como a Itaipu e o Governo Estadual, que não mediram esforços para investir e reestruturar a rede de atendimento hospitalar.

Enfrentamento

A atuação da Itaipu no enfrentamento à covid-19 em Foz do Iguaçu se divide em investimentos diretos na saúde, no apoio às entidades sociais que prestam socorro humanitário e sofreram impacto financeiro devido a perdas de arrecadação, e nas ações voltadas ao turismo, principal atividade econômica do Destino Iguaçu e a primeira a sofrer com a pandemia.

A binacional é a principal mantenedora do Hospital Ministro Costa Cavalcanti (HMCC) e investiu R$ 74.334.185,83 em três convênios. Foi possibilitada a abertura de uma ala exclusiva para tratamento de covid-19, com 55 leitos de UTI e 22 de enfermaria, além de reforço na equipe com mais de 300 profissionais.

Também foram firmados convênios com a 9ª Regional de Saúde, para aquisição de insumos diversos, como respiradores, kits de intubação, camas hospitalares e robôs de desinfecção, entre outros equipamentos. Também foram comprados 79 mil testes RT-PCR e foi feito um importante investimento no Centro de Medicina Tropical (CMT), que teve a estrutura ampliada para analisar testes de RT-PCR.

Em outra frente, a Itaipu ampliou os recursos do Fundo de Auxílio Eventual, amparando 76 entidades sem fins lucrativos que atuam diretamente no atendimento a populações carentes. Os recursos chegaram a R$ 5,6 milhões, em 2021. Cerca de 30 mil pessoas foram beneficiadas, direta ou indiretamente.

Na área do turismo, a empresa criou o programa Capacita Foz, para treinar trabalhadores de diversos setores ligados ao turismo, oferecendo uma bolsa auxílio mensal durante o treinamento.

Créditos: Christian Rizzi/PMFI/Itaipu Binacional.

Facebook
Google+
Twitter