PUBLICIDADE

Prefeitura anuncia mudança na gestão das UPAS

Fundação Municipal de Saúde assumirá a gestão das Unidades de Pronto Atendimento. Medida visa garantir o melhor atendimento à população

 

A partir do mês de março as Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) de Foz do Iguaçu passarão a ser geridas pela Fundação Municipal de Saúde, entidade que já administra o Hospital Municipal Padre Germano Lauck (HMPGL). O anuncio foi feito na manhã desta terça-feira (18) pelo prefeito Chico Brasileiro, durante uma coletiva de imprensa com a presença do diretor do Hospital Sergio Fabriz.
 
De acordo com o prefeito, a medida visa garantir maior agilidade e eficiência nos fluxos de atendimentos das UPAS. “Além disso teremos uma redução de gastos com horas extras e a garantia de demanda de profissionais para as escalas ininterruptas nas duas unidades, João Samek e Walter Cavalcante”, explicou. 
 
Brasileiro destacou ainda que as unidades realizam em torno de 24 mil atendimentos por mês, uma média de 800 pacientes por dia nas duas UPAS. “Neste momento em que estamos vivendo com uma epidemia de dengue, precisamos da contratação imediata de serviços para abastecer as unidades. A Fundação tem condições de contratar serviços para o bom funcionamento das UPAS de uma forma muito mais rápida do que um processo licitatório na prefeitura. Essa agilidade é o que nós precisamos para melhorar os atendimentos”, reiterou. 
 
O modelo de gestão atual do Hospital Municipal é um modelo fundacional, com agilidades em processos seletivos, contratações de profissionais como médicos e contratações de serviços de uma forma muito mais rápida. “Temos que nos guiar pelo melhor modelo, e o melhor modelo hoje é do Hospital”, frisou o prefeito. 
O vice-prefeito e secretário de saúde Nilton Bobato também ressalta a economia com serviços de manutenção. “Com a gestão pela Fundação, serviços como de portaria, hotelaria, manutenção predial e elétrica estarão garantidos”.
 
Unificação
 
De acordo com o diretor-presidente do HMPGL, Sergio Fabriz, a ideia é tornar as Unidades de Pronto Atendimento uma extensão do hospital, com a unificação dos protocolos. “Teremos uma maior integração entre os serviços, oferecendo à população um suporte com uma agilidade nos processos internos e com uma nova cultura organizacional”, explicou. “A unidade hospitalar trabalhará de forma integrada com os servidores da prefeitura, sendo que estes não serão prejudicados”, reiterou.
 
Os processos de contratações já começaram a ser agilizados, como é o caso de cinco enfermeiros aprovados no Processo Seletivo do Hospital que iniciam suas atividades no início de março. Quanto aos insumos, o hospital já possui todos licitados, sem impacto para a instituição nos processos internos, apenas o aumento de materiais na requisição das UPAs. 
 
Fabriz pontua que será possível também uma melhor atuação e expansão de campo de estágio aos profissionais da saúde, resultando em um atendimento mais engajado com toda a equipe multidisciplinar em favor da comunidade.  
 
A Fundação Municipal de Saúde de Foz do Iguaçu possui instrumentos jurídicos e técnicos para assumir as unidades de Urgência e Emergência, assim definidos em seu estatuto.
 
Na tarde de ontem (17), o Termo de Cooperação Técnica entre o Município e a Fundação Municipal de Saúde foi aprovado pelo Conselho Curador e na próxima quinta-feira (20), o Plano Operativo Anual (POA), que estabelece metas e valores para o contrato de gestão será analisado pelo COMUS (Conselho Municipal de Saúde).
Facebook
Google+
Twitter