PUBLICIDADE

PTI propõe soluções para incentivar a Agricultura 4.0 no Estado

O diretor superintendente do Parque Tecnológico Itaipu (PTI), general Eduardo Garrido, apresentou ao público do Show Rural, na tarde de quinta-feira, 6, soluções tecnológicas que o PTI vem desenvolvendo para o agronegócio.
A aposta do Parque Tecnológico é incentivar a Agricultura 4.0, também chamada de Agricultura Digital, por meio de projetos de inteligência artificial (IA). Esse foi o tema da palestra do diretor superintendente no Fórum dos Profissionais de TI das Cooperativas Brasileiras, realizado durante o Show Rural.
“Precisamos cada vez mais conectar o agronegócio à energia e à inteligência artificial, para assim cooperarmos com a geração da segurança energética e o desenvolvimento de soluções que mitiguem problemas”, destacou Garrido.

O Parque Tecnológico possui soluções em IA com base em tratamento e cruzamento de informações e imagens, mineração de dados, reconhecimento de padrões, catalogação e validação de objetos, e medição de dados agrometereológicos para auxiliar na tomada de decisão no campo.
Reforçando a importância da gestão das informações para a agricultura da região Oeste do Paraná, o diretor falou sobre a atuação direta do PTI em tecnologias que permitem gerar conectividade, principalmente nas áreas em que não há disponibilidade de internet, por meio das redes de LoRaWAN – uma forma de comunicação sem fio, semelhante ao wi-fi e bluetooth, em longas distâncias.

O diretor superintendente do PTI, general Eduardo Garrido, falou sobre as soluções tecnológicas do Parque em palestra no Fórum de Profissionais de TI das Cooperativas Brasileiras.

Empresas incubadas
Garrido também comentou sobre os produtos e serviços das empresas incubadas no Parque Tecnológico que são voltadas ao agronegócio, a exemplo da Brexbit, que desenvolveu um sistema de rastreabilidade na área de sanidade animal com base na tecnologia blockchain. Já a Embio é outra incubada que produz fertilizantes biológicos para o aumento da produtividade na agricultura.

Mencionou ainda a Stac, que traz soluções tecnológicas à avicultura e, nesta edição do Show Rural, assinou uma parceira com a Coopagril para o fornecimento de tecnologia de monitoramento de aviários.

Tripla Hélice
O diretor superintendente do PTI ressaltou ainda a importância do modelo de tripla hélice fomentado pelo Parque Tecnológico, em que governo, universidades e indústria se unem para a inovação, visando desenvolvimento e crescimento econômico.

“Nossa tarefa como um Parque Tecnológico é desenvolver o conhecimento para que as parcerias que podem ser, por exemplo, com cooperativas ou startups, coloquem os produtos no mercado´, comentou Garrido.

Perspectivas
No início desta semana, o Parque Tecnológico recebeu a visita do ministro da Ciência e Tecnologia, Marcos Pontes. Ele sinalizou a intenção de desenvolver um programa vetor de parcerias e cooperação entre a Itaipu, o PTI e o Ministério.

O diretor superintendente do PTI avaliou as perspectivas dessa parceria. “Nosso desejo é que o PTI seja uma sede da Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (EMBRAPII). Somado ao apoio de empresas interessadas, o Parque Tecnológico Itaipu terá condições de alavancar projetos de tecnologias aplicadas, biotecnologia e tecnologia da informação”.

Fotos: Kiko Sierich/PTI

Facebook
Google+
Twitter